quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Mais de 300 prefeitos baianos são esperados em mobilização no CAB


Mais de 300 prefeitos baianos são esperados em mobilização no CAB
Cerca de 300 prefeitos são esperados no Movimento Pró-Município, evento que busca chamar a atenção para pautas prioritárias e para crise que assola os municípios baianos. Durante a quinta-feira (26), centenas de prefeituras baianas fecharão as portas e manterão apenas os serviços essenciais em prol do Movimento. Organizado pela União dos Municípios da Bahia (UPB), a concentração do evento ocorrerá às 8h, na sede da UPB. Às 8h30 os gestores seguirão em direção a Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (Alba), onde acontecerá a sessão especial para discutir demandas dos municípios baianos. A programação continua pela tarde com o diálogo municipalista com a Confederação Nacional de Municípios (CNM), que ocorre às 13h30 na sede da UPB. O tema será “Boas Práticas de Consorciamento em Saúde e Resíduos Sólidos”. Às 15h será entregue a Pauta Prioritária aos Senadores e Deputados Federais da Bahia, que conta com os principais interesses municipalistas. Entre eles estão a edição da Medida Provisória para garantir o Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM), no aporte de R$ 4 bilhões, a fim de possibilitar que as administrações municipais fechem as contas do ano de 2017; a garantia da revogação do gravíssimo corte de quase 100% no orçamento do Sistema Único da Assistência Social (Suas), para 2018, que comprometerá a manutenção de serviços importantes como CREAS, CRAS, Bolsa Família, etc e o reajuste dos repasses dos Programas Federais e Estaduais.  “Agora é a hora. Vamos sair da porta da UPB e contamos com a adesão de todos. Esse é o movimento dos municípios. Tenho certeza que sairá resultado desta ação”, disse o presidente da UPB e prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro. Às 16h ocorre o último diálogo da tarde, com o tema “Modernização da Gestão Pública: Consórcios e Ferramentas para Soluções Tecnológicas”. O Movimento Pró-Município ocorrerá em todos os estados do país e tem apoio da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

Nenhum comentário:

Postar um comentário