quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Metade do 13º salário sai para 2 milhões de baianos


Aposentados e pensionistas de todo o país começarão a receber, a partir do final deste mês, a antecipação da primeira parcela do abono anual, conhecido como 13º salário. Na Bahia, mais de 2 milhões de pessoas serão contempladas, segundo informou o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). O valor a ser liberado só será divulgado no dia 14 de agosto, mas deve ser próximo a R$ 1,2 bilhão em todo o estado, semelhante ao valor do ano passado.
O depósito da gratificação será realizado na folha mensal de pagamentos do INSS, entre os dias 27 de agosto e 10 de setembro. Terão direito à primeira parcela do abono anual cerca de 30 milhões de beneficiários em todo o Brasil. Estima-se que a antecipação irá injetar na economia aproximadamente R$ 20,6 bilhões, nos meses de agosto e setembro. A primeira parcela corresponde a 50% do valor do 13º.
Segundo o governo federal, não haverá desconto de Imposto de Renda (IR)
nessa primeira metade do abono. De acordo com a legislação, o IR sobre o 13º somente será cobrado em novembro e dezembro, quando for paga a segunda parcela.
A aposentada Miranir Miranda, 72 anos, já está com o dinheiro da primeira parcela do 13º comprometido. Parte do valor será utilizada para pagar algumas contas que estão atrasadas. A outra parte vai ser gasta em um presente para a neta que faz aniversário no mês de setembro. “Até vou comprar uma lembrancinha para minha neta, porque avó nunca esquece, mas todo o restante, o destino primordial do dinheiro, é para a quitação das minhas dívidas”, conta a aposentada.

Expectativa
Sem dívidas e sem gastos programados, Oralice Gomes, 71 anos, pensa em utilizar o dinheiro no comércio. Ela ainda não bateu o martelo, mas pensa em comprar uma geladeira nova. “Fiquei sabendo que o dinheiro vai ser adiantado. Eu pretendo utilizar para comprar alguma coisa para casa, como um eletrodoméstico, mas, por enquanto, vou deixar na conta poupança”, planeja.
De acordo com uma funcionária da Loja Paulistinha, que fica na Avenida Sete de Setembro, embora o abono seja uma forma de movimentar o dinheiro no comércio, não há muita expectativa em relação às vendas. Isso porque, afirma Iodete Dias, 51 anos, o aposentado acaba utilizando o dinheiro para gastar em coisas mais emergenciais, como remédios.

“O aposentado chega aqui já com o dinheiro contado. O nosso produto, não é que seja supérfluo, mas também não é de primeira necessidade. Por exemplo: eu vendo uma meia para circulação, apenas para uma perna, que custa cerca de R$ 250. Se ele tiver problemas em duas pernas vai ter que desembolsar R$ 500. Existem outras prioridades que é o remédio, o aluguel, comida e outras contas”, observa.
Desde a semana passada que o comércio baiano experimenta um pequeno aquecimento nas vendas e na quitação de débitos antigos, devido a liberação, por parte do Ministério do Trabalho, de
R$ 79,4 milhões referentes ao abono salarial ano-base 2016. Ao todo, 104.200 trabalhadores podem sacar o benefício na Bahia até o dia 30 de dezembro.

“Tanto ssa liberação de verba do Ministério do Trabalho quanto essa do INSS estão sendo muito positivas para o comércio em geral. A antecipação de parte do 13º dá um fôlego maior na economia e faz com que o consumidor também possa aproveitar para comprar produtos que estejam em promoção”, diz o diretor-executivo da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas da Bahia (FCDL-BA), Carlos Machado.

Quem tem direito
Aposentados e pensionistas, em sua maioria, receberão 50% do valor do benefício. A exceção é para quem passou a receber o benefício depois de janeiro de 2018. Nesse caso, o valor será calculado proporcionalmente.
Por lei, tem direito ao 13º quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário de aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão ou salário-maternidade. No caso de auxílio-doença e salário-maternidade, o valor do abono anual será proporcional ao período recebido.
Aqueles que recebem benefícios assistenciais (Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – BPC/Loas e Renda Mensal Vitalícia – RMV) não têm direito ao abono anual.
Em 2017, na Bahia, havia 2.017.717 pessoas de 60 anos ou mais de idade, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Elas representam 13,2% da população do estado, mas o IBGE observa que nem todo idoso é aposentado. (correio24horas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário