segunda-feira, 30 de julho de 2018

Leusa Borges é exemplo na luta pelos direitos da mulher à frente do Conselho Municipal em Santo Antônio de Jesus


Empoderamento. Utilizada nos dias atuais, essa palavra remete a mulheres que buscam efetivar seus direitos e conquistar seu espaço na sociedade. Empoderada. Palavra que descreve a presidente do Conselho Municipal da Mulher em Santo Antônio de Jesus, Claudileusa Borges, ou apenas Leusa Borges.
Conversar com essa mulher é inspirador. Referência para muitas, Leusa, como gosta de ser chamada, além de conquistar uma carreira profissional e se engajar em tantos projetos, é mãe de um adolescente de 16 anos e dona de casa. Uma mulher negra, de 40 anos, portadora de deficiência visual há seis anos, cursa licenciatura em Geografia e coordena a equipe do Fórum Estratégico: ‘Uma nova conscientização sobre a pessoa com deficiência’.
Leusa perdeu a visão total aos 34 anos, mas descobriu que poderia levar uma vida quase normal um ano depois. “Meu marido, Rita e Denilda, estas  duas amigas, me indicaram o Centro de Apoio Pedagógico Aurélio Pires.  A partir daí, despertei novamente para os estudos, depois de 16 anos longe das salas de aula, já tinha concluído o ensino médio e logo depois de dois meses no CAP fiz vestibular e passei. Estou no oitavo semestre do curso de geografia e realizando várias outras atividades”, contou.
Atuação do Conselho da Mulher
À frente do Conselho Municipal da Mulher este ano, Leusa Borges tem com desafio a atuação do Conselho com ações em defesa da mulher. Para tanto, conta com o apoio do poder público através das secretarias municipais, como a de Agricultura e Abastecimento. Recentemente, a secretária Fátima do Bem Fica participou da reunião do Conselho e consolidou essa parceria. “A Saab tem, entre outras ações, levar o Conselho até as comunidades rurais. Nessas comunidades a Saab já desenvolve trabalhos de associativismo e cursos diversos”, disse a secretária.

Segundo Leusa Borges,  a atuação do  Conselho da Mulher é um passo a mais que o município dá no sentido de garantir os direitos de todas e ampliar sua participação na sociedade. Leusa destacou que as Secretarias contm com o Conselho para atuar na conscientização e na busca por ações que valorizem as mulheres e possam pontuar iniciativas que promovam a luta contra a violência.
A presidente do Conselho da Mulher falou do desafio de colocar em prática ações que possam defender a mulher em situação de risco, e ressaltou que são importantes iniciativas conjuntas de toda a sociedade para realizar uma série de ações em prol da garantia dos direitos da mulher. “Estar presidente do Conselho da Mulher vem sendo muito importante para mim. Cheguei até o Conselho através de um esforço coletivo de mulheres com deficiência visual, que se reuniram em um fórum para debater questões pertinentes as suas vivências, experiências e necessidades”, relatou.
Leusa Borges não tinha pretensão de ser presidente do Conselho, mas apenas colaborar com a entidade. “Já que estou presidente, quero dar o meu melhor e fazer um trabalho em equipe, assim como fazemos na minha equipe do projeto Rede PCD, onde realizamos fóruns estratégicos de uma nova conscientização sobre a pessoa com deficiência”, garantiu.
fonte. bacidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário