quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

URGENTE: Odebrecht apresenta a Moro e-mails como provas contra Lula

Resultado de imagem para LULA  REVISTA VEJA

Anexadas no processo sobre o sítio de Atibaia, mensagens tratam também de prédio ao Instituto Lula e de conta-corrente de propina com Palocci

O empresário Marcelo Odebrecht anexou a um processo da Operação Lava Jato que tem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entre os réus novos e-mails com referências a valores pagos pela Odebrecht ao petista. A defesa de Marcelo alega que ele só pôde reunir o material depois que progrediu ao regime semiaberto e teve acesso a dados de seu computador pessoal. O conteúdo comprovaria o relatos do empresário em sua delação premiada.
Incluídos no processo referente ao sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), os e-mails tratam de obras na propriedade rural, da compra de um prédio ao Instituto Lula, em São Paulo, que baseia outro processo da Lava Jato, além de pagamentos destinados a Lula por meio da “conta corrente de propinas” mantida entre Marcelo Odebrecht e o ex-ministro Antonio Palocci, identificado como “Italiano”.
Em 21 de junho de 2011, Odebrecht dá uma orientação ao executivo Luiz Antonio Mameri que indicaria que Lula sabia da conta de propinas com Palocci. “Qd mencionar ao amigo de BJ que o acerto do evento foi com Italiano/amigo de meu pai, e não com PT, importante não mencionar nada sobre minha conta corrente com Italiano pois só ele e amigo de meu pai sabem”.
Segundo os delatores da empreiteira, menções a “amigo” ou “amigo de EO” correspondiam ao ex-presidente, que seria amigo de Emílio Odebrecht, pai de Marcelo. Na petição encaminhada pelos defensores do empresário ao juiz Sergio Moro, os defensores dele afirmam que a mensagem “reforça o conhecimento de Lula sobre a ‘conta-corrente’ mantida com Antônio Palocci (Italiano)”.
Em 22 de agosto de 2012, Marcelo Odebrecht comunica a Hilberto Mascarenhas, diretor do setor de propinas da Odebrecht, e a Benedicto Junior, ex-diretor da empreiteira, que combinou com Palocci um pagamento de 15 milhões de reais “para cobrir pedidos do amigo meu pai (sem que ele saiba que usamos o credito) o que inclui palestras, jato…”.
Sobre o sítio de Atibaia, frequentado pela família Lula da Silva e supostamente reformado por Odebrecht, OAS e Schahin ao custo de 1 milhão de reais, a defesa de Marcelo Odebrecht sustenta que os e-mails “contêm citações diretas” à propriedade, “demonstrando em que medida o Colaborador tomou conhecimento sobre o assunto, ao final, já na fase de conclusão e entrega da obra”.
Em uma mensagem enviada aos executivos Alexandrino Alencar, Carlos Armando Paschoal e Benedicto Júnior em dezembro de 2010, Odebrecht indaga sobre se seria possível cumprir o prazo de entrega, combinado para o dia 15 de janeiro. “REFORMA Piscina (ainda sem laje), Suites ainda sendo rebocadas, Sauna a ser contratada. Nos nos comprometemos com 15/1 ou seria mais seguro dizer ate o final de janeiro, tentando antecipar?”, pergunta.
Paschoal, conhecido como CAP, responde que “a equipe informou hoje pela manha que esta tudo conforme programado. O mais importante nesse tipo de obra e’ que não ha indefinicoes por parte do proprietario. Eu diria que temos como meta o dia 15 e não havendo imprevistos a alcancaremos. Temos um eng senior (Fred) que se instalou em Atibaia e esta’ cuidando pessoalmente do assunto com equipe de sua confiança”.
Já em relação ao prédio que abrigaria o Instituto Lula mas acabou descartado, comprado pela Odebrecht através de uma empresa “laranja”, a DAG Construtora, por 12,5 milhões de reais, Marcelo Odebrecht apresentou e-mails trocados entre ele e Branislav Kontic, assessor de Antonio Palocci. Nas correspondências, o empresário pede orientações sobre as tratativas para a aquisição do imóvel, que, segundo o Ministério Público Federal (MPF), envolveram, além de Palocci, o advogado Roberto Teixeira, compadre de Lula, e o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente.
“Brani, Tudo bem? Preciso mandar um paper para o Chefe pedindo orientacoes sobre o Predio. Mando para SP ou BSB?”, indagou Marcelo em 4 de novembro de 2010. “Pode mandar para o escritório es SP hoje”, respondeu Brani.

FONTE.VEJA

AL-BA fará novo concurso público para Polícia Legislativa



Resultado de imagem para assembleia legislativa ba
Após discussões sobre o destino de policiais militares que fazem segurança na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o presidente da Casa, Angelo Coronel (PSD), anunciou que vai abrir concurso público para a Polícia Legislativa. Ao BNews, o presidente afirmou que serão oferecidas de 70 a 75 vagas para a segurança do Parlamento.
O certame ainda não tem data para publicação, mas deve ser realizado ainda esse ano. Coronel já contabiliza economia. “Iremos retirar os cargos em Regime Especial de Direito Administrativo (Redas) para dar espaço aos concursados. Deveremos ter uma economia, com certeza” assegurou o presidente sem mencionar valores. 
A Polícia Legislativa terá “poder de polícia”, conforme o projeto de autoria do próprio Coronel. Os policiais podem “realizar inquéritos, encaminhar diretamente resultados ao Ministério Público (quando couber)”, além da função de segurança. 
Ainda será criado um Departamento de Polícia Legislativa, vinculado à Presidência da Casa. Em 2013, conforme publicou o BNews, o então presidente, Marcelo Nilo (PSL), era contrário a proposta por onerar a Casa. Já Coronel garante que não haverá encargos no orçamento da AL-BA com a criação do departamento. 
Segundo o presidente, a Casa já estuda novos concursos para outras áreas.
fonte.bnews

Com salários atrasados há dois meses, jornalistas paralisaram atividades em A Tarde

[Com salários atrasados há dois meses, jornalistas paralisaram atividades em A Tarde]


Desde às 7 horas da última terça-feira (27) os jornalistas do Jornal A Tarde e Massa estão mobilizados exigindo o pagamento dos salários atrasados. A paralisação fez com o que o jornal Massa não circulasse nesta quarta-feira (28).
Durante a paralisação de ontem, alguns editores optaram por "furar" o ato e produziram a edição desta quarta de A Tarde.
Uma caça às bruxas nas instalações do centenário veículo de comunicação da Bahia foi iniciada culminando com a aplicação de medidas disciplinares como suspensão contra funcionários que aderiram à paralisação.
A reportagem do BNews teve acesso a um documento em que o grupo A Tarde aplica uma “medida disciplinar de suspensão” por três dias [de 1º a 3 de março] a um funcionário que participou da mobilização. 
A mensagem diz que a medida serve para “a manutenção da disciplina, da boa ordem e da eficiência no trabalho”. O comunicado adverte que, em caso de reincidência, o empregado será não voltar ao trabalho após o período de suspensão poderá ser novamente suspenso e ou ainda ter o contrato de trabalho rescindido. 
Os trabalhadores lidam com a falta de salários que em alguns casos chega há três meses. O 13º salário também não é pago desde 2016, bem como o depósito do FGTS.
Os relatos também dão conta de que quando os funcionários saem de férias, não recebem por isso. 
As condições trabalho pioram e não são poucas as queixas. A Tarde responde por diversos processos na Justiça do Trabalho. fonte.bnews

TCM suspende assinatura de contrato para gestão de Hospital Municipal de Salvador


TCM suspende assinatura de contrato para gestão de Hospital Municipal de Salvador

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) determinou nesta quarta-feira (28) a suspensão da assinatura do contrato de gestão do Hospital Municipal de Salvador. A decisão dos conselheiros do tribunal atende a pedido apresentado pela "Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar", que foi desclassificada no Processo de Chamamento Público que escolheu a Santa Casa de Misericórdia para a gestão da unidade médica. A medida cautelar acatada pelo TCM vale até o julgamento de mérito do processo pela corte. O Hospital Municipal de Salvador está em fase final de obras e tem previsão de ser entregue no dia 29 de março, dia do aniversário da capital baiana. A denúncia apresentada pela Pró Saúde ao TCM aponta que ela apresentou uma proposta financeira cerca de R$ 15 milhões inferior em comparação com a que foi colocada pela Santa Casa de Misericórdia da Bahia. A empresa denunciante sustenta ainda que o edital tinha uma cláusula ilícita por exigir a administração de pelo menos dez leitos próprios de Unidade de Terapia Intensiva por pelo menos 2 anos. Para a Pró Saúde, a cláusula restringe a participação de potenciais interessados, sendo que "o objeto a ser contratado tem relação com o domínio da técnica da prestação dos serviços de gestão hospitalar". O relator do caso no TCM, Paolo Marconi, acatou o pedido da Pró Saúde e foi acompanhado pelos  conselheiros Plínio Carneiro Filho, Ronaldo Sant’Anna e Antonio Carlos Silva. O conselheiro José Alfredo Rocha Dias se absteve, alegando não conhecer adequadamente a questão para emitir juízo. O conselheiro Fernando Vita, na presidência da sessão, não votou. Para Marconi, "o Termo de Referência, peça técnica essencial para o balizamento das propostas, não explica a razão porque a propriedade (de hospital com pelo menos 10 leitos de UTI) é considerada indispensável para efeito de habilitação no feito, sendo que o objeto a ser transferido à iniciativa privada, sem fins lucrativos, está centrado na gestão da prestação do serviço da unidade de saúde". fontebn

Neymar fará cirurgia no Brasil ainda esta semana

Neymar fará cirurgia no Brasil ainda esta semana
O PSG confirmou nesta quarta-feira (28) que o atacante Neymar passará por um procedimento cirúrgico para corrigir a fissura no quinto metatarso do pé direito. A operação será realizada até o final desta semana, no Brasil. Segundo o GloboEsporte.com, o médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, será o encarregado da cirurgia. O médico francês Gérard Saillant, do Paris, vai acompanhar o procedimento.

fonte.bn

Pastor, casado com cantora gospel, morre em motel quando mantinha relações com amante de 19 anos.

Resultado de imagem para pastor no motelPastor era casado com uma famosa cantora Gospel, a qual descobriu a traição por causa da morte de seu marido.

O caso inusitado não teve os nomes dos envolvidos revelados, mas segundo a polícia, o pastor com mais de 50 anos estava em um encontro íntimo com uma jovem muito mais nova, de apenas 19 anos. O rapaz havia feito o uso de medicamentos para potencializar a relação, quando na “hora h” começou a passar mal.
A amante comunicou a recepção para chamarem o socorro, mas quando os socorristas chegaram no quarto, o pastor já estava sem nenhum sinal vital. A esposa foi contatada para o reconhecimento do corpo, e ficou sabendo dos detalhes sobre a morte pela polícia.
A mulher, que é uma famosa cantora Gospel não sabia da traição e passou mal ao saber do ocorrido. O pastor continuou anônimo para não denegrir a imagem de sua igreja, mas se sabe que vários fiéis ficaram revoltados ao descobrirem a traição
fonte.http://www.deolhonews.com.br/pastor-morre-em-motel/

Rui pede CPI de obras na Barra e empréstimos consignados da prefeitura

Resultado de imagem para rui contra neto
O governador da Bahia, Rui Costa, afirmou nesta quarta-feira (28) concordar com a instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar irregularidades na construção da Arena Fonte Nova . No entanto, pediu também que a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) crie outras duas CPIs, uma para apurar indícios de desvios de recursos nas obras da Barra em Salvador e nos empréstimos consignados concedidos pela prefeitura. “Eu acho que deve formar para avaliar a Fonte Nova. Acho que deve formar CPI para avaliar as obras e o desvio de dinheiro da Barra. Acho que deve formar CPI, por exemplo, para avaliar quem está ganhando dinheiro indevidamente com contrato de débito em conta com consignação no município de Salvador, quem está enriquecendo com isso”, disse, durante a inauguração da encosta de Vila Francismar, no Alto da Terezinha, dando a mesma recomendação para o líder do governo, Zé Neto (PT). A oposição alega já ter reunido 20 das 21 assinaturas necessárias para entregar ao presidente da AL-BA, Angelo Coronel (PSD), o pedido de abertura do colegiado. O signatário que falta atende pelo nome de Samuel Júnior (PSC), como vem se tornando praxe nas tentativas de instauração de CPIs por parte da bancada. fonte.bn

Suspeitos são presos após ameaçarem índios em aldeias baianas

Suspeitos foram levados para a Delegacia Territorial de Itabela - Foto: Divulgação | SSPGutemberg de Jesus Lima, Valdomiro Brito Santana e Wallas Aragão de Jesus, foram presos nesta terça-feira, 27, por suspeita de se esconderem nas aldeias Xandó e Barra Velha, localizadas em Monte Pascoal, e ameaçarem os índios para que não fossem denunciados.
Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o trio, que integra uma quadrilha especializada de roubo e adulteração de veículos foi localizado após por denúncias enviadas pelos índios para o número 'WhatsApp' da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Mata Atlântica - unidade que realizou a prisão. 
Ainda conforme a SSP, Gutemberg e Valdomiro foram autuados por receptação de veículos , após serem localizados com motocicletas com restrições de roubo. Já Wallas Aragão de Jesus, estava com um a dupla e foi encaminhado à delegacia por ameaçar a esposa e descumprir a medida protetiva emitida pela Justiça. 
Com o trio foram apreendidas três motocicletas Honda, modelos CB300, CG 150 e CG 125 Fan. Os veículos, assim como os suspeitos foram encaminhados para a Delegacia Territorial de Itabela.

Mancini é absolvido, mas jogadores levam gancho pesado

O clássico entre Bahia e Vitória do último dia 18 de fevereiro, válido pela sexta rodada do Campeonato Baiano, terminou em pancadaria. Em uma sessão que durou aproximadamente quatro horas na noite da última terça-feira, foram julgadas as punições pesadas para os jogadores envolvidos na confusão, mas o técnico Vagner Mancini saiu ileso de uma pena.
O Vitória foi multado em R$ 100 mil; o zagueiro Kanu foi suspenso por dez partidas do Baiano; Edson, Becão, Rhayner, Yago e Denilson pegaram gancho de oito partidas por acusação de agressão, e Vinícius, o “causador” da briga por comemorar na frente da torcida adversária, foi suspenso por dois jogos.
O técnico Vagner Mancini, que teria pedido para que um jogador forçasse expulsão, foi absolvido, assim como André Lima, Ramon, Bruno Bispo e Mário Silva. A partida foi encerrada pelo árbitro aos 34 minutos do segundo tempo por número insuficiente de atletas em campo e a vitória foi dada ao Bahia por W.O. A sentença cabe recurso.
Segundo o Código Brasileiro de Justiça Desportiva e também o Código Disciplinar da Fifa, este tipo de ação poderia culminar no rebaixamento direto para a segunda divisão do estadual. 

Caminhão bate em fiação e pega fogo no bairro da Pituba

Ainda não há informações sobre o que causou o incêndio - Foto: Cidadão Repórter | Via Whatsapp

Um caminhão pegou fogo na tarde desta quarta-feira, 28,  após colidir com uma fiação na Rua Minas Gerais, no bairro da Pituba, em Salvador. Duas viaturas do Grupamento de Bombeiros Militares estão atuando no combate às chamas no local. Ninguém ficou ferido
De acordo com o órgão, o fogo começou por volta das 13h30 e ainda não há informações sobre o prejuízo estimado do acidente. A Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador) informou que a via foi interditada em decorrência do acidente. 

Apartamento pega fogo e fica parcialmente destruído no bairro de Brotas, em Salvador



Apartamento ficou parcialmente destruído (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Um apartamento localizado no Edifício Mirante de Brotas, na Avenida Dom João VI, bairro de Brotas, em Salvador, pegou fogo na manhã desta quarta-feira (28). O imóvel ficou parcialmente destruído após as chamas. Ninguém ficou ferido.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros Militar, o incêndio começou por volta das 10h50. Após denúncias, uma viatura da corporação foi encaminhada para o local e conseguiu debelar o fogo, por volta das 12h.

Ainda não há detalhes sobre as causas das chamas. Uma perícia deve ser realizada no local pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) para avaliar a situação.

Vitória provoca Bahia, mas apaga post e se desculpa

Vitória provocou Bahia no Twitter: "a fuga das sardinhas"

Um dia após o julgamento do polêmico Ba-Vi , o Vitória usou as redes sociais na manhã desta quarta-feira (28) para fazer uma provocação ao Bahia. O clube rubro-negro aproveitou uma informação dada pelo rival através do Twitter sobre uma reunião para avaliar o resultado nos tribunais e acabou postando a seguinte mensagem: "a fuga das sardinhas".
 A postagem foi apagada momentos depois, e logo em seguida o Vitória voltou a utilizar o Twitter para pedir desculpas ao arquirrival.

"O Esporte Clube Vitória vem a público pedir desculpas ao @ECBahia pela publicação desrespeitosa neste perfil. Estamos tomando as medidas necessárias para elucidar o fato. Prezamos pela boa relação institucional e este comportamento não diz respeito às nossas tradições", postou o Vitória.

O termo 'sardinha' é utilizado de forma pejorativa pela torcida rubro-negra para chamar o Bahia. Já a expressão 'fuga das sardinhas' faz alusão à expressão criada pela própria torcida do Bahia, 'fuga das galinhas', usada para provocar os rivais pelo fim antecipado do clássico do dia 18, no qual o Vitória ficou sem jogadores suficientes e a partida acabou encerrada aos 34min do segundo tempo.

Policiais interceptam mais de 300 quilos de maconha que iriam para a Bahia

Policiais interceptam mais de 300 quilos de maconha que iriam para a Bahia
Carregamento de mais de 300 quilos de maconha que seria levado para a Bahia foi interceptado por policiais rodoviários federais na noite desta terça-feira (27), em Ponta Porã. Também foram apreendidas munições e haxixe. 
De acordo com informações policiais, a droga era levada em um Duster, com placas de Porto Seguro (BA). O condutor, de 32 anos, estava em companhia de uma mulher, de 30 anos e de uma criança de 2 anos.
Em verificação no veículo após a abordagem, os policiais encontraram no porta-malas e sobre o banco traseiro vários tabletes de maconha. A carga foi pesada e totalizou 333 quilos. Também havia no carro 260 gramas de haxixe e 50 munições calibre .40.
A droga que foi encontrada no banco estava coberta por uma manta e a cadeirinha da criança foi colocada por cima.
O motorista afirmou ter alugado o automóvel em uma locadora de veículos. Ele declarou, ainda, que pegou o entorpecente no Paraguai e levaria para Bahia, onde receberia R$ 15 mil pelo transporte.
A passageira e o condutor foram presos em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e tráfico internacional de arma de fogo. O caso foi encaminhado à Polícia Federal de Ponta Porã. A criança foi entregue ao Conselho Tutelar da cidade.

Paraná Pesquisas: Bolsonaro e Alckmin empatam em SP; Wagner tem máximo de 5,9%

Paraná Pesquisas: Bolsonaro e Alckmin empatam em SP; Wagner tem máximo de 5,9%
O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, dividem as intenções de voto para a Presidência da República em levantamento realizado no estado de São Paulo pelo instituto Paraná Pesquisas. Em um dos cenários, tendo o ex-governador Jaques Wagner como candidato do PT, este pontua apenas 1,3%, enquanto a disputa se concentra entre os dois primeiros, tecnicamente empatados – Bolsonaro obteve 23,5% e Alckmin, 23,2%. O terceiro maior percentual é composto por eleitores que não votariam em nenhum dos prováveis candidatos (16,6%), enquanto 4,3% afirmam não saber em quem votariam. Marina Silva aparece com 13,3%, seguida por Ciro Gomes (7,2%), Álvaro Dias (4%). Na casa de 1 ponto percentual estão Fernando Collor de Mello (1,5%), Rodrigo Maia (1,4%) e Henrique Meirelles (1%). Abaixo de 1% estão Manuela D’Ávila (0,8%), João Amoedo e Levy Fidelix com 0,7%, e Guilherme Boulos, com 0,5%. Quando o candidato do PT é Fernando Haddad (6%), a diferença entre Bolsonaro e Alckmin aumenta ligeiramente, mantendo o empate: o primeiro tem 23,4%; o segundo, 22,1% -- a margem de erro é de 2% (com grau de confiança de 95%). Eleitores formam o terceiro maior percentual (16%), enquanto 3,9% afirmam não saber em quem votariam. Marina Silva aparece com 12,3%, seguida por Ciro Gomes (6,5%), e Álvaro Dias (3,8%). Rodrigo Maia (1,3%), Fernando Collor de Mello (1,1%) e Henrique Meirelles (1%). Abaixo dessa faixa estão João Amoedo, Levy Fidelix e Manuela D’Ávila, todos com 0,7%, e Guilherme Boulos, com 0,5%. Com Lula, Bolsonaro (22,3%) e Alckmin (20,1%) mantém a liderança, com o petista logo abaixo (19,7%). Nesse cenário, é menor o número de eleitores que não sabem em quem votar (11,6%); 3,7% dizem não saber em quem votar. Marina Silva cai para 8,8%, seguida por Ciro Gomes (5,3%) e Álvaro Dias (3,6%). Rodrigo Maia (1,1%) e Henrique Meirelles (1%) continuam na faixa de 1 ponto percentual. Abaixo de 1% ficaram Collor (0,8%), João Amoedo (0,7%), Manuela D’Ávila (0,5%), Guilherme Boulos (0,4%) e Levy Fidélix (0,4%). A pesquisa também verificou como se dividem os eleitores de Lula, sem ter o ex-presidente como opção. Com Jaques Wagner como substituto (5,9%), 25,1% afirmam que não votariam em nenhum outro candidato, enquanto 22,4% optariam por Marina Silva e 16,8% por Alckmin. Ciro Gomes obteve 10,2%, seguido de Bolsonaro (6,4%), Wagner (5,9%). Levy Fidélix e Rodrigo Maia conseguem cada um 1,5%; Álvaro Dias, 1,3%, e Manuela D’Ávila alcança 1%. Abaixo dessa faixa, ficam Meirelles (0,8%), Boulos (0,5%) e João Amoedo (0,3%). Com Haddad, ex-prefeito de São Paulo, o PT fica melhor posicionado: 22,2% ainda dizem não votar em nenhum candidato, mas o petista lidera logo abaixo desse grupo, com 20,9%. Marina Silva vem ligeiramente abaixo, em empate técnico, com 19,3% e Geraldo Alckmin cai para 13%. Ciro Gomes fica desce para 8,7%, seguido de Bolsonaro (5,9%) e Collor (3,1%). Levy Fidélix e Rodrigo Maia estacionam em 1,3%; Álvaro Dias e Boulos em 0,8%; Manuela D’Ávila fica com 0,5%; Meirelles e Amoedo obtém 0,3%. fonte.bn

Mentor do estupro coletivo de quatro meninas no Piauí é condenado a 100 anos de prisão


Mentor do estupro coletivo de quatro meninas no Piauí é condenado a 100 anos de prisão
Julgado por chefiar e participar do estupro coletivo de quatro meninas, no Piauí, em 2015, Adão José de Souza foi condenado a 100 anos e oito meses de prisão. A decisão foi proferida nesta quarta-feira (28), no fórum da cidade de Castelo do Piauí, onde o crime aconteceu, segundo informações de O Globo. O Ministério Público o denunciou pelos crimes de porte ilegal de arma, estupro qualificado, homicídio qualificado, tentativa de homicídio, corrupção de menores e associação criminosa. O caso em questão ocorreu no dia 28 de maio daquele ano, quando Adão, que hoje tem 43 anos, usou uma arma para abordar as quatro jovens, com idades entre 15 e 17 anos, no Morro do Garrote, zona rural da cidade . De acordo com a publicação, elas estavam no local para tirar fotos. O homem, então, as forçou a ter relação sexual com ele e depois levou as garotas até quatro adolescentes que prosseguiram com os abusos e agressões. Um dos jovens envolvidos, Gleisom Vieira da Silva relatou que após estuprarem as meninas, eles as apedrejaram e empurraram de uma altura de cerca de sete metros. Todas ficaram internadas com rostos e partes dos corpos dilacerados. Uma das jovens, Daniely Rodrigues, de 17 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Detido no Centro Educacional Masculino, Gleisom foi assassinado dentro da cela pelos outros três menores envolvidos no crime.fonte.bn

Rafael Jambeiro: Passageiro ‘surta’ e mata adolescente a facadas durante viagem

Rafael Jambeiro: Passageiro ‘surta’ e mata adolescente a facadas durante viagem
Um adolescente, de 13 anos, morreu a golpes de faca dentro de um van em um trecho da BR-116 Sul em Rafael Jambeiro, no Piemonte do Paraguaçu. O fato ocorreu na noite desta terça-feira (27), no km-489. Segundo o Acorda Cidade, o agressor, já preso, um homem de 40 anos que teria surtado, desferiu golpes que atingiram o peito do adolescente Wellington Pereira da Silva. Outros três passageiros, Wilson Dionísio Pereira, 21, Rodolfo Firmino da Silva, 21, e Diogo Cerqueira Mendes, 25, foram feridos, mas já receberam alta. A van seguia de Mato Grosso para Alagoas. Ainda segundo o site, o autor do crime, Roberto de Jesus Araújo, 40, natural de Itabuna, tentou fugir entrando em um matagal, mas acabou sendo preso. Ele estava a caminho de Feira de Santana. Conforme o delegado Fabrício Linard, titular da Delegacia de Homicídios (DH/Feira), o acusado já tem uma condenação de 14 anos e seis meses de prisão por homicídio em Itabuna. Linard ainda informou que o acusado relatou ter sido pirraçado pelos jovens e por isso os atacou.fonte.bn

Após postagem provocativa, Vitória pede desculpas ao Bahia


Após postagem provocativa, Vitória pede desculpas ao Bahia
O Vitória lamentou após postagem provocativa, nesta quarta-feira (28), na sua conta oficial do Twitter . Foi feita uma publicação provocando o arquirrival Bahia. A postagem foi apagada logo em seguida. Depois, o Leão pediu desculpas pelo ocorrido. "O Esporte Clube Vitória vem a público pedir desculpas ao ECBahia pela publicação desrespeitosa neste perfil. Estamos tomando as medidas necessárias para elucidar o fato. Prezamos pela boa relação institucional e este comportamento não diz respeito às nossas tradições", declarou oficialmente o clube Rubro-negro.
Foto: Reprodução/ Twitte

Conquista: Passageiro é preso com 54 explosivos dentro de ônibus


Conquista: Passageiro é preso com 54 explosivos dentro de ônibus
Um homem, de 49 anos, foi preso levando explosivos dentro de um ônibus em um trecho da BR-116 de Vitória da Conquista, no sudoeste. O fato ocorreu na noite desta terça-feira (27), na altura do km 830. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF-BA), o acusado levava 54 “unidades de emulsão explosivas”, além de uma bobina de cordel detonante, usada para detonar caixas eletrônicos. O ônibus fazia a linha Piracicaba, interior de São Paulo, com destino a Maceió, em Alagoas. Durante a fiscalização no interior do ônibus, os policiais questionaram um dos passageiros, sobre os volumes que ele levava no bagageiro. Aos policiais, ele disse que era argamassa expansiva, material usado para remoção de rochas ou concretos sem poder explosivo. Desconfiados da história, os agentes resolveram averiguar, quando encontraram os 54 explosivos. O acusado e os explosivos foram levados para uma delegacia de Vitória da Conquista.fonte.bn

Juízes federais declaram greve para pedir manutenção do auxílio-moradia

Juízes federais declaram greve para pedir manutenção do auxílio-moradia
Os juízes federais vão deflagrar uma greve no dia 15 de março para pedir a manutenção do pagamento do auxílio-moradia de R$ 4,3mil. A liminar que garante o pagamento da verba aos magistrados será julgada no Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) no dia 22 de março. A Associação dos Juízes Federais (Ajufe) fez uma consulta aos associados sobre adesão a paralisação. Mais da metade dos dois mil associados da entidade votou “sim”. A consulta termina nesta quarta-feira (28). Ainda nesta quarta-feira, a classe deve se reunir com o ministro Luiz Fux, relator da ação sobre o auxílio-moradia. Foi Fux que deferiu a liminar para garantir o pagamento do auxílio-moradia. O receio dos magistrados é extinção do benefício, previsto na Lei Orgânica da Magistratura (Loman). O chamamento para uma greve é uma reação a decisão da presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, de pautar o processo. O pagamento é garantido via liminar desde setembro de 2014. A Ajufe afirma que a presidente do STF foi seletiva por não incluir o julgamento da ação que questiona o pagamento de penduricalhos aos magistrados estaduais. fonte.bn

SAJ: Assistência Legal, acontece hoje no SESC, uma ação da prefeitura através da secretaria de Ação Social

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Coité: Assaltantes arrombam loja e levam 100 celulares: veja vídeo


Coité: Assaltantes arrombam loja e levam 100 celulares: veja vídeo
Assaltantes arrombaram uma loja em Conceição do Coité, na região sisaleira, e roubaram cerca de 100 celulares. A ação, ocorrida na madrugada desta terça-feira (27), foi registrada por câmeras de segurança. Até o começo da manhã desta quarta-feira (28) nenhum dos criminosos foi preso. Conforme o Calila Notícias, os assaltantes levaram todo o estoque da loja avaliado em R$ 80 mil. O grupo, formado por pelo menos cinco homens e duas mulheres, chegaram ao local a bordo de dois carros. Eles forçaram a porta para entrar no estabelecimento e já dentro da loja quebraram as vitrines, enchendo as mochilas com celulares. O fato ocorreu por volta das 3h15, no centro da cidade. fonte.bn

BAHIA: Biblioteca Central reforça descaso com a pesquisa e a memória



Local está sujo, sem ar-condicionado e jornais; pesquisador fez carta ao governador
Primeira biblioteca da América Latina; dona de uma história de 207 anos; detentora de um acervo de mais de 600 mil arquivos – mais de 150 mil livros. Sobrevivente a incêndios, bombardeios, roubos e mudanças de sede. A Biblioteca Central do Estado, antes Biblioteca Pública do Estado, é tudo isso. Agora, ela enfrenta outro momento sombrio: sem grandes investimentos, falta limpeza, climatização e até jornais diários.
A situação não é nova, mas voltou à tona na semana passada, depois que o jornalista Claudio Leal divulgou, nas redes sociais, uma carta pública endereçada ao governador Rui Costa. No texto, Claudio denuncia as condições da biblioteca – que vão desde o que chama de ‘desertificação’ do setor de periódicos, onde ficam os jornais diários, até as más condições de limpeza. 
“São quase dois anos de incúria, de estúpida austeridade e de grosseria contra leitores e pesquisadores. Um ato de desprezo à memória histórica da Bahia”, diz, na carta. Segundo ele, os banheiros têm cheiro de urina e os mictórios são ‘podres’, mas refletem um descaso que vêm atravessando mandatos e partidos políticos. 

Os banheiros sujos foram citados na carta do jornalista (Foto: Marina Silva/CORREIO)
“Não há motivo para vanglória: isto não é um feito de sua gestão. O desrespeito à higiene dos usuários atravessa décadas e não exclui governantes de esquerda ou direita”, pontua o jornalista, que cita os 20 dias em que a biblioteca teve que fechar, em 2016. Na época, o CORREIO denunciou cortes na segurança e na limpeza.
Sem jornal
No caso dos periódicos, os cortes também remetem a 2016. Desde aquele ano, a biblioteca, dona de um dos maiores acervos de periódicos e publicações raras do estado, não recebe jornais diários. As justificativas não oficiais – de funcionários e frequentadores – incluem falta de dinheiro e até burocracia. No fim, o resultado é o mesmo: a biblioteca não consegue mais garantir as assinaturas. 

Os últimos exemplares de jornais são de 2016 (Foto: Marina Silva/CORREIO)
Em agosto de 2016, chegaram ao fim a assinatura da Tribuna da Bahia e, pouco antes, em junho, a do jornal A Tarde. As edições do CORREIO duraram um pouco mais – devido a uma doação, é possível encontrar tudo que foi publicado até dezembro. Jornais nacionais também não há.
Baiano, o jornalista fazia pesquisa para o mestrado em história do cinema baiano na Universidade de São Paulo (USP) quando se deparou com os problemas. Percebeu que algo estava ainda mais errado quando notou a queda no número de frequentadores. O setor de consulta aos periódicos, antes um dos mais procurados, estava vazio. 
Desde 2016 frequentando a biblioteca para pesquisa sobre anos de 1950 e 1960, Claudio já vinha incomodado com a infraestrutura do local. Em meio ao calor, não conseguia passar muito tempo pesquisando. Se tinha quatro horas disponíveis para pesquisar lá dentro, não suportava mais do que duas, de tão quente.
“Quando encontrei a biblioteca nesse estado de afastamento de leitores, já fiquei um pouco surpreso. E quando comecei a experiência como pesquisador, fui entendendo o que estava acontecendo. As pessoas precisam entender que é muito grave uma biblioteca pública não receber continuamente jornais diários. São lacunas que vão ser enfrentadas pelos historiadores lá na frente”, explica Cláudio, em entrevista ao CORREIO. 
Desde os 14 anos, o jornalista frequenta a biblioteca. Durante sua pesquisa, descobriu que usuários do espaço e funcionários chegavam a fazer doações para evitar a lacuna. Ele defende que, se a biblioteca não está arquivando ‘o presente’, não é possível dizer que ela tem cumprido seu papel. “E não adianta dizer que o período está digitalizado, porque já há perdas de arquivo de fotografias e textos no universo digital, então a biblioteca pública não pode deixar de arquivar o impresso”.
Por isso, decidiu escrever a carta e endereçá-la ao governador Rui Costa, ao invés dos representantes dos órgãos diretamente responsáveis pela gestão da Biblioteca Central.  “Não adianta escrever e protestar contra ocupantes de cargos de segundo escalão que nada podem fazer contra senhores de autoridade fiscal”. 
Até barata
Segundo a carta de Cláudio, as publicações foram cortadas devido a ‘estranhas burocracias’, além de um ‘desinteresse oficial de solucionar esse impasse’. Na segunda-feira (26), dia em que a reportagem do CORREIO esteve na biblioteca para uma pesquisa de jornais, a negativa veio com outra explicação – dessa vez, relativa à economia. “Aí... Está vendo a crise no país, né?”, justificou um dos funcionários.
O mestrando em História pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) Sivaldo dos Reis conhece bem a realidade da biblioteca. No dia em que encontrou o CORREIO, ele pesquisava no Arquivo Público do Estado da Bahia (Apeb), na Baixa de Quintas. No entanto, durante os últimos dois anos, foi na Biblioteca Central onde esteve mais vezes para buscar informações para a dissertação sobre raça e cidadania no período da Primeira República. 

Sivaldo pesquisa na Biblioteca Central e no Apeb (Foto: Thais Borges/CORREIO)
O foco de seu trabalho é o advogado africano Maxwell Assunção, que nasceu em Lagos (Nigéria), mas viveu por 35 anos em Salvador. Neste período, o advogado escreveu para vários jornais denunciando casos de racismo na cidade. E foi assim que Sivaldo se tornou presença constante no setor de periódicos da Biblioteca Central – justamente pesquisando os jornais.
Foi numa dessas que, em um dado momento de 2017, Sivaldo notou algo estranho em seu pé. Ao olhar para baixo, constatou a presença de um ser que faria muita gente sair correndo: uma barata, que surgira ali, em meio à seção de periódicos. “Isso é algo muito sério. Cheguei a falar com um funcionário, mas ele até brincou, dizendo que ali tinha ‘rato, barata, até caranguejo’, lembra, sem tirar a responsabilidade dos próprios pesquisadores. Sivaldo conta que já presenciou, inúmeras vezes, gente comendo nos aposentos da biblioteca – e ainda reclamando das advertências dos servidores. 
Ele diz que, de uma forma geral, a infraestrutura da biblioteca ‘é um problema’. Sem ar-condicionado e ventiladores, ele afirma, ainda, que o atendimento é precário. No Apeb, Sivaldo elogiou, mais de uma vez, a presteza dos funcionários. Na Biblioteca Central, até o barulho de conversas dos servidores e terceirizados é uma dificuldade. Desde 2015, o historiador acredita que o movimento tenha caído, mas lamenta a diminuição dos recursos destinados ao incentivo à pesquisa no Brasil de forma geral.
Para todos 
A diretora do Instituto de Ciência da Informação (ICI) da Ufba, Hildenise Novo, também critica a situação da biblioteca. É lá que os estudantes da graduação em Biblioteconomia da Ufba, um dos cursos lotados no ICI, fazem estágio obrigatório. E, para a professora Hildenise, o contexto atual é ‘absurdo’. 

“A gente sabe que, efetivamente, as políticas públicas na área da cultura e da educação vêm sendo postas de lado pelos nossos governantes e a gente não pode deixar que isso aconteça. Isso é uma coisa que revolta a comunidade, revolta os bibliotecários. Acho que deveria ser motivo de protesto”, afirma.
Atualmente, ela orienta um trabalho de mestrado em que o estudante chegou a desistir de continuar a pesquisa na biblioteca - justamente devido à falta de jornais atuais. Sem saída, ele acabou recorrendo ao acervo do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB). 
“O jornal é um veículo de informação que se atualiza diariamente. Nem todas as pessoas têm acesso à internet nesse país ainda. A internet é importante, mas, por si só, não basta. É importante olhar sobre o objeto físico e pela questão de dar acesso a todo e qualquer tipo de público”.
A professora da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) da Ufba, Maria Hilda Baqueiro, defende que projetos de preservação de memória – como o acervo de periódicos da biblioteca – sejam assumidos pela sociedade, não apenas por governantes. “Não pode simplesmente responsabilizar o estado por tudo, quando é muito mais simples fazer de outras formas, com a participação de empresas, de particulares...”. 
Preservação
Desde o caso do fechamento da biblioteca em 2016, o número de pesquisadores que recorre ao IGHB aumentou. Ao CORREIO, o presidente da entidade, Eduardo Morais de Castro, estimulou que o crescimento tenha sido de 15% de lá para cá. Além de oferecer jornais diários atualizados para consulta, o IGHB conta com jornais desde o século XIX e um acervo de 45 mil publicações.

Por dia, recebem, em média, dez pesquisadores. Diferentemente da Biblioteca Central, cujo número de usuários tem caído, ele diz que não notou nenhuma queda na bibliotexa da unidade. “Atribuo muito dessa diminuição à internet, já que você tem o mundo no celular. Só que, na nossa, temos um público muito específico, que estuda geografia, história, antropologia, e tem um acolhimento e preservação dos livros de uma maneira diferenciada”. 
Nas salas de consulta, os ambientes são climatizados e há desumidificadores de ar para preservação do acervo. “Essa é uma memória que a gente tem. Temos que ter esse patrimônio, porque temos um tesouro na mão”.
Pesquisadores comentam os desafios do trabalho 
Quem atua como pesquisador na Bahia não tem uma vida fácil – especialmente se depende de documentos históricos. É o caso das professoras Juliana Barreto Farias, 40 anos, e Idalina Freitas, 37, do curso de História da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). Só para o projeto de pesquisa mais recente – sobre engenhos em São Francisco do Conde, na Região Metropolitana de Salvador (RMS) -, passaram por arquivos municipais de várias cidades próximas, como Cachoeira e Santo Amaro. 

Encontraram espaços fechados ou arquivos inexistentes. No dia em que encontraram o CORREIO, na terça-feira (27), elas davam início à pesquisa no Arquivo Público do Estado da Bahia (Apeb), na Baixa de Quintas. Planejavam passar o dia ali com a aluna Tatiana Santana, 30, que faz parte do projeto de iniciação científica. Os próximos seis meses devem ser de visitas ao Apeb. 

Tatiana, Juliana e Idalina recorreram ao Apeb depois de não conseguir documentos em arquivos municipais (Foto: Thais Borges/CORREIO)
“Aqui tem questões estruturais,  porque é um prédio muito antigo. Mesmo assim, é tudo muito tranquilo e prático. A gente chega e os funcionários já vêm ajudar”, diz Juliana. Sem ar-condicionado, elas contam que tiveram experiências em outros arquivos pelo Brasil que estão da mesma forma – à exceção do Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, que é climatizado.
Elas reforçam a importância desses espaços de pesquisa – não apenas para quem trabalha com História, mas para a sociedade de forma geral. “A gente pode, assim, recompor a trajetória de sujeitos, recuperar a história e podem inclusive surgir outros temas de pesquisa”, completa Idalina. 
Para ficar mais perto do Apeb, o mestre em História Alexandre Gonçalves saiu de Ipirá, no Centro-Norte do estado, onde leciona no curso de Pedagogia em uma universidade particular. Assim, ele planeja desenvolver a pesquisa para seu projeto do doutorado em História. Na terça-feira (27), ele tinha retornado ao espaço, que não visitava desde 2015, para estudar sobre Capitanias Hereditárias.
“Se fosse possível melhorar, ótimo, mas a gente sabe que o investimento do poder público em todas as esferas não é ideal, que seria de encontrar online. Aqui, na Bahia, a referência é o Apeb por arquivo, organização... Mas o futuro é digitalizar, não apenas ter o arquivo”, aponta. 
Mestrando em História pela Ufba, o pesquisador Marlos Cândido, 23, também passou boa parte dos dias do último ano pesquisando no Apeb. O objetivo era encontrar o máximo possível de informações sobre uma invasão francesa em Porto Seguro, no século XVIII. Como a cidade não tem arquivo municipal próprio, a maioria dos – poucos – documentos disponíveis veio para o Apeb ou para o Arquivo Nacional.
“Conheço o Arquivo Nacional e a Biblioteca Nacional e é incomparável o que eles podem oferecer. O Apeb está muito precarizado, as máquinas (para microfilmes) estão ultrapassadas, mas o pessoal aqui é muito disposto a ajudar. Aqui, na sala de microfilme, é climatizado, mas, na sala de consulta, onde passo 75% do tempo, não”.
Marlos pretende finalizar a pesquisa no Apeb ainda esta semana. Depois, vai se concentrar na escrita da dissertação do mestrado, que defenderá em 2019. Para ele, o trabalho de investigação é quase como de ‘formiguinha’. Ele ressalta a variedade de documentos para pesquisa no local. “O Apeb é fantástico. Se não fosse o Apeb em nossas vidas, não existiria pesquisa na Bahia. É o melhor lugar para pesquisar o período colonial”.
Leia a íntegra da carta aberta de Cláudio Leal:
"Caro governador Rui Costa,

Trago-lhe notícias da decadência da Biblioteca Pública do Estado da Bahia, criada em 1811 e instalada em 1970 nos Barris, centro de Salvador, sob a responsabilidade do governo do Estado. Sem querer contrariar a irrelevância da cultura em seu governo, informo-lhe que a velha biblioteca continua a não receber nenhuma assinatura de jornais locais e nacionais. A seção de consulta a periódicos, antes repleta de frequentadores, sofre um processo de desertificação. Visitantes retornam para a rua ao verificar que não há jornais do dia. São quase dois anos de incúria, de estúpida austeridade e de grosseria contra leitores e pesquisadores. Um ato de desprezo à memória histórica da Bahia. De acordo com os funcionários, desde junho de 2016 a remessa de publicações foi cortada em razão de estranhas burocracias, inéditas em quase dois séculos de serviços públicos, agora humilhados pelo desinteresse oficial de solucionar esse impasse.

Conforme apurei, usuários e funcionários chegam a doar seus jornais para corrigir parte da lacuna do acervo da biblioteca. Esta história é comovente, mas deveria lhe indignar tanto quanto a mim, porque o dinheiro para a manutenção é mínimo. Uma assinatura do jornal “A Tarde” custa R$ 65 por mês (felizmente, a maior parte do acervo está digitalizada). O “Correio” custa uma pechincha: pode sair R$39/mês. Como se vê, nada que ofenda o erário.

Na Biblioteca dos Barris, realizei pesquisas em 2016 e 2017 e posso descrever o zelo de funcionários jogados em ambientes sem ar condicionado, outro atentado contra o acervo. O calor reduzia a capacidade de resistência, o tempo de pesquisa se reduzia. E cabe uma pequena atualização: a sala de consultas a periódicos se encontra outra vez sem ar condicionado. Quebrou. Em 22 de fevereiro de 2018, crescia a esperança de um conserto.

Os banheiros da biblioteca são sujos, fedem a urina e dezenas de vasos seguem interditados. Os mictórios são podres. Não há motivo para vanglória: isto não é um feito de sua gestão. O desrespeito à higiene dos usuários atravessa décadas e não exclui governantes de esquerda ou direita. O PT, defensor das minorias, deveria proteger a saúde de raros leitores. Há pouco tempo, houve cortes indecentes na limpeza e na segurança, mesquinharia revertida dentro da lentidão habitual de tudo que se refere à preservação histórica no Brasil. Em 2016, a biblioteca fechou por 20 dias. Os vigilantes não eram pagos, como denunciou a imprensa.

Antes do fim, vamos rapidamente ao subsolo. A Sala Walter da Silveira, que foi uma referência da cinefilia baiana, dispõe de um excelente programador, mas recebe recursos pífios para realizar mostras e retrospectivas de filmes. Seja mais generoso com a sala que leva o nome de um dos maiores críticos do Brasil.

Apesar do meu desencanto, espero que o senhor corrija o descaso de seu governo com a Biblioteca Pública. Esta carta, naturalmente, será encaminhada a outros destinatários dedicados à memória histórica.

Cordialmente,
Claudio Leal,
jornalista."

fonte.correio 24 horas

Cemitérios municipais de Brotas e Itapuã ganham novas gavetas


A Prefeitura de Salvador finalizou a construção de 224 gavetas nos cemitérios municipais de Itapuã e Brotas. Com a implantação das novas estruturas, através da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), a capital amplia o número de vagas para sepultamento, o que vai melhorar o atendimento à população.
Segundo a prefeitura, as novas gavetas entregues, 96 são para a unidade de Itapuã e 128 para a de Brotas. Mais 216 gavetas estão em fase de construção no Cemitério de Plataforma. A obra está prevista para ser concluída em abril e, quando for entregue, a cidade ganhará neste semestre um total de 440 unidades. O investimento é de R$ 361 mil.
"Desde o início da gestão, verificamos a necessidade de ampliação de vagas nos cemitérios municipais, uma vez que não havia qualquer tipo de investimento com recursos próprios há mais de 30 anos. A demanda por sepultamento aumentou cerca de 40% ao longo dos últimos cinco anos, seja em função do aumento da violência em Salvador, seja pelo fechamento de parte do complexo do cemitério Quinta dos Lázaros, em 2016, que é administrado pelo governo do estado”, afirma o titular da Semop, Marcus Passos. A estimativa é construir 1,5 mil gavetas até 2020.
“O maior ganho é para os moradores de baixa renda, que são os que necessitam desse serviço", completa o secretário.
Cremação
A Prefeitura disponibiliza o serviço de cremação gratuita à população de baixa renda de Salvador. A ação acontece através de convênio com o Cemitério Jardim da Saudade, oferecendo duas cremações diárias não cumulativas, totalizando 730 serviços do tipo ao ano. Em 2017, foram realizadas 259 cremações, sendo que em 2016 foram apenas 116.

O procedimento é feito nos mesmos moldes do serviço pago, inclusive com a cerimônia de 30 minutos e entrega das cinzas em uma urna ecológica. O processo poderá ocorrer desde que haja manifestação do falecido em documento público (feito em Cartório de Títulos e Documentos) ou particular. Nessa hipótese, o termo deverá contar com a assinatura do declarante e de mais três testemunhas, todas com as firmas reconhecidas.
Na falta de uma manifestação em vida, a cremação somente será possível com a apresentação da documentação legalmente exigida e com a autorização dos parentes de grau direto, na sequência: cônjuge sobrevivente – seja ele(a) esposo(a) ou companheiro(a) legalmente reconhecido(a) – pais, filhos, irmãos, desde que maiores de idade. Os corpos só são cremados quando a morte for causada por doenças crônicas como acidente vascular cerebral, parada cardíaca, insuficiência respiratória, Aids, câncer, diabetes, senilidade, morte natural e similares, sempre com a guia de cremação.
Quando a morte decorrer de acidente, homicídio, ou por causa indeterminada, considerada não natural ou violenta, será atestada por um médico legista e a cremação dependerá de autorização judicial e liberação de autoridade policial. O falecido a ser cremado não deve ter marcapasso, platina ou qualquer outra prótese de metal.
Foto: Divulgação/Secom PMS
Gratuidade
Pelo procedimento, o parente do morto deve comparecer à Coordenadoria de Serviços Diversos (CSD) da Semop, com o atestado de óbito assinado por dois médicos, guia de cremação e assinar uma declaração de pobreza. O documento serve para atestar que a família não tem condições financeiras de arcar com os custos do serviço. Depois disso, é entregue uma guia de liberação da Prefeitura para que seja feito o procedimento no Jardim da Saudade.

Tanto para sepultamento quanto para cremação, a família deve entrar em contato com a Central de Marcação para Sepultamento pelos telefones (71) 3322-1037 ou 3266-2194. O serviço funciona todos os dias, inclusive feriados, das 8h às 12h e das 13h às 16h30.
fonte.correio 24 horas