sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Rui e Neto engajam mais nas redes sociais com publicações sobre suas vidas pessoais

Rui e Neto engajam mais nas redes sociais com publicações sobre suas vidas pessoais
Muito se usou a expressão “o papa é pop” pra se referir ao papa João Paulo II e agora ao papa Francisco em razão do carisma conquistado com os católicos e não católicos: pensamento mais liberal do que de costume, mensagens de paz, espontaneidade. Partindo dessa premissa e de uma análise sucinta das redes sociais do governador Rui Costa (PT) e do prefeito ACM Neto (DEM), podemos considerar que ambos também alcançam o status pop quando estão em um momento “gente como a gente”. Um levantamento feito pelo Bahia Notícias entre 16 e 22 de outubro deste ano mostra que o pico de engajamento do governador foi em uma foto publicada no Instagram, na qual ele aparece com a primeira-dama Aline Peixoto no show de Paul McCartney. O evento aconteceu no último dia 20, na Arena Fonte Nova. Foram 2.537 interações entre os 43,2 mil seguidores do petista naquela rede social, o que rendeu engajamento de 6%. No caso do democrata, o auge de interação com seus 331 mil seguidores foi em uma foto que Neto postou também na Arena Fonte Nova, no último domingo (22), após o triunfo do Bahia sobre o Vitória. Foram 14.337 interações, o que rendeu 4,5% de engajamento. “Alguns estudos apontam que colocar sua vida pessoal, mesmo que no perfil oficial, é importante pra criar empatia com seus possíveis eleitores, que político é igual a todo mundo: vai pro jogo, almoça em restaurante. É uma forma de aproximar esferas sociais bem distantes, a política e o cidadão”, explicou Rodrigo Carreiro, pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital (INCT.DD). 

O dado quanto ao engajamento de Neto, aliás, gera curiosidade: é a única interação acima de 2% que o prefeito reuniu ao longo da semana analisada, escolhida de maneira aleatória. Isso quer dizer que, apesar das mais de 98,8 mil interações registradas no Instagram, o engajamento dos seguidores não chega a 5% - apenas 5 das 21 postagens estão entre 2% e 4,5%. Embora o número de seguidores de Rui Costa seja cerca de sete vezes menor e o número de interações sequer chegue a 30 mil, o petista acumula 27 publicações – das 31 postagens na rede social – com taxa de interação entre 2% e 6%. O publicitário Caio Costa explica que o engajamento não é proporcional ao número de seguidores, já que outros fatores devem ser considerados, como comentários acerca dos conteúdos. Carreiro vai além e cita a distribuição do conteúdo como uma questão para o engajamento, que pode facilitar ou dificultar o acesso. “As publicações não vão automaticamente pra timeline de quem curtir. Elas sofrem interferências de alguns parâmetros que o próprio Facebook estabelece. É uma forma de eles atraírem dinheiro, que você pague link patrocinado”, acrescentou - a rede social de Mark Zuckerberg é responsável também pelo Instagram. E por falar em Facebook, é lá onde o engajamento do governador diminui, ainda que seu o número de seguidores (ou curtidores da página) suba para 275.990. O pico de interações – incluindo likes, reações, comentários e compartilhamentos – ocorre na live do ‘Papo Correria’, programa de aproximadamente uma hora de duração que, depois que termina, é salvo como vídeo. O levantamento do Bahia Notícias registrou 7.819 interações, um engajamento de 3%. Outras quatro publicações tiveram 1% de engajamento. Ao todo, o governador e sua equipe fizeram 19 postagens no Facebook na semana de análise. Já o prefeito ACM Neto, embora tenha acumulado 41 mil interações nas 21 publicações feitas, não conseguiu passar do 1% de interação. O prefeito não fez transmissões de longa duração ao vivo, que tendem a acumular um maior número de de interações. Apenas cinco postagens saíram do zero quanto ao engajamento dos seus 463.610 seguidores. 

A menos de um ano das eleições de 2018, que já tem Rui Costa como possível candidato à reeleição e ACM Neto ainda às vias de decidir seu futuro, o pesquisador Rodrigo Carreiro considera que estar onde o público está já é uma estratégia eleitoral. Isso porque o político estará no ponto de vista social comum na sociedade. “O político procura se aproximar do público no ambiente que ele está, nos locais de convivência, não só internet. Mas o importante é quando chegar o momento da campanha, esse político já tenha estabelecido aproximação com o eleitor. (...) Se estabelece a relação ao longo do tempo. Quando chegar a eleição, não vai ser custo social muito alto para o eleitor compartilhar material de ACM Neto ou Rui Costa, porque já estabeleceu relação ao longo do tempo”, acrescentou. Os dados do levantamento foram obtidos no dia 24 de outubro. Respostas de comentários e visualizações de vídeos publicados não foram considerados.fonte.bn

Nenhum comentário:

Postar um comentário